quinta-feira, 13 de março de 2008

Física complicada

Não lembra nem ao Diabo a minha ignorância. Outro dia fui à oftalmologista para verificar se precisava de novos óculos. É daquelas coisas que dizem para fazer pelo menos todos os anos, e eu já lá não ia há uma meia dúzia.

Depois dos exames, e de experimentar meia dúzia de lentes a médica diz-me que a graduação é a mesma. A única diferença é que a lente esquerda devia ser rodada 30 graus e que, dada a tão pequena diferença, não valia a pena fazer novos óculos.

Durante uns tempos andei a pensar, pensar, pensar, a tentar perceber como é que rodar a lente altera a imagem produzida. Mas a verdade é que ontem quando peguei nos óculos, fechei o olho direito e rodei ligeiramente os óculos. Não é que a imagem focava?

Agora, há algum leitor deste magnífico blog que perceba alguma coisa de física e me queira explicar o que se passa?

3 comentários:

Pitux disse...

Eu não percebo nada de Física.

Single Mind disse...

Tens astigmatismo. Se nao me engano, apenas no astigmatismo e' que a rotacao da lente faz diferenca. Por exemplo, eu ha' anos que estava com a mesma graduacao, apenas ia mudando as lentes com angulos de 0 e 5 graus.
Este ano (segunda vez que acontece), diminui a graduacao. Quanto mais velha, melhor vejo. Sou um fenomeno anti-natureza. :)

The Baffler disse...

o que se passa é que o gradiente de espessura da lente não é radial. como tal, ao rodar a lente esta-se a alterar as componentes vertical e horizontal do gradiente de espessura. Com a simples lei de Snell (n1*sen(a1)=n2*sen(a2)) é fácil de verificar que a imagem virtual vai estar mais próxima ou mais afastada consoante a rotação da lente.