sábado, 1 de março de 2008

A falta de educação!

Nos últimos tempos discute-se em Portugal a reforma do sistema educativo. Infelizmente os serviços de comunicação social (inclusive as que teoricamente são de serviço público) cismam em mostrar apenas a contestação dos professores e vários partidos, e não esclarecem ponto por ponto o que a reforma pretende ser.

Pelo que percebi (e posso ter percebido mal), os professores não concordam que sejam avaliados pelas notas que dão ao alunos. Por outro lado, os pais apoiam o governo nesta reforma.

É que não lembra nem ao Diabo! Claro que os pais apoiam esta reforma, porque o que querem é que os professores, para receberem boas classificações, dêem boas notas aos seus filhos, sem eles saberem o que quer que seja. E há quem perceba que assim os alunos passam a saber menos, ainda!

Se pelo menos as notas fossem relativas ao número de alunos que os professores conseguiram fazer passar os exames nacionais...

4 comentários:

Rui Seabra disse...

Costou-me que a avaliação dos alunos na realidade tem um peso de 4 pontos em 50. Se isto for verdade, questiono um pouco a ética de apontar constantemente esta situação como um ponto de polémica acentuada.

Parece sinceramente uma forma de exacerbar para além do razoável, ecapsulando de uma vez só outros conceitos errados como "não é possível os alunos todos terem boa nota".

Embora seja quase utópico, um excelente professor, teoricamente, deveria ser capaz de descobrir como cativar os alunos, e perceber que não há um "one size fits all", sendo que há casos especiais que têm necessidades diferentes.

Agora... isto é decididamente muito complicado, mas ainda assim os alunos muito maus são uma minoria pelo que também não se deveria exacerbar desta forma se só valem 4 pontos em 50.

Sinceramente... haviam de ter as avaliações que as empresas privadas fazem anualmente aos seus funcionários... é que Não Lembra Nem ao Diabo a quantidade de pontos subjectivos que os chefes arranjam para poder controlar (seja para cima, seja para baixo) a subjectividade das avaliações, por muito formais que tem parecer ser.

Ou seja: profs, têm muita razão em contestar, mas ide fazer um estágio ao mundo do trabalho fora do ensino e vão ver a pera doce que têm actualmente quando comparada.

Alberto Simões disse...

Como disse, infelizmente ainda não li nada sobre o assunto. E se são 4 pontos em 50, acho que os professores devem é ter aulas de matemática :)

Pitux disse...

"Se pelo menos as notas fossem relativas ao número de alunos que os professores conseguiram fazer passar os exames nacionais...". Não concordo minimamente. Há zonas mais priveligiadas em que os alunos passam com muito melhores notas nos exames nacionais. E coitados dos professores que forem dar aulas para zonas mais problemáticas.

Quer se queira, quer não, o meio social em que os alunos vivem tem uma grande importância no empenho e nas notas dos alunos. E falo por experiência própria (que ainda é alguma).

Single Mind disse...

Que sejam avaliados, acho muito bem. Afinal de contas ha mt boa gente que depois de ter o cu sentado num pelouro nunca mais faz nada para progredir. Mas isto e' em qualquer profissao.
Agora que sejam avaliados atraves das notas obtidas pelos alunos acho ridiculo. Um professor de renome, excelente e recomendado se apanha uma turma desgracada, fica com a reputacao do pior professor da escola so com um estalido de dedos.

Obriguem os alunos a estudar como antigamente. Hoje em dia facilita-se em tudo. Enfim,

- facilitar aqueles que vao ter profissoes comuns como a de sapateiro e agricultor, compreende-se.
- Facilitar aos que um dia serao medicos, engenheiros e advogados e' muito grave.
- Facilitar aqueles que futuramente serao os cientistas do futuro e' apenas um crime a' evolucao da humanidade e diria mesmo o exterminio da humanidade.

Nem 8 nem 80, valha-me Deus.