quarta-feira, 2 de julho de 2008

Sabe interpretar perguntas da mesma forma que a produção?

O concurso Sabe mais do que um miúdo de 10 anos voltou à RTP. Os miúdos também voltaram (e são os mesmos), mas a RTP na contenção de custos não esteve para mudar o cenário, e ainda se referem 10 anos estando a maior parte dos alunos já perto dos 11.

Mas o que me faz escrever este post não se prende com esse facto, mas mais porque a produção deste programa é incompetente (e não sabe mais do que um miúdo de 10 anos), e portanto não sabe como equacionar uma pergunta não ambígua.

Considerem a pergunta do último programa: Onde nasce e desagua o rio Mondego?

Quando li esta pergunta, a primeira resposta que me veio à cabeça foi: Portugal. Sim, o rio Mondego nasce e desagua em Portugal. Podem dizer que outra resposta correcta seria Planeta Terra, mas parece-me que a resposta deve corresponder à região mais pequena que satisfaz a pergunta.

Mas o que a produção queria não era fazer uma pergunta, mas duas! E por isso, também estava à espera de duas respostas.

Agora comparem com a pergunta (inventada por mim): Onde se situam a Torre de Belém e o Mosteiro dos Jerónimos?

Com esta pergunta, será que querem a morada exacta de cada um deles, ou bastará a resposta Lisboa?

Do meu ponto de vista as perguntas são idênticas, e a conjunção deve ser vista como uma restrição da resposta, e não como a conjunção de duas perguntas. Para a conjunção das duas perguntas seria mais um Indique onde nasce, e onde desagua o rio Mondego. Aqui, parece-me que o segredo é a repetição do advérbio de lugar.

Continuando com a dissertação, a resposta dada pela criança foi: Nasce na Serra da Estrela e desagua no Oceano Atlântico. Assim à primeira vista, a resposta é correctíssima. Mas a verdade é que a produção queria a cidade onde desagua, ou seja, Figueira da Foz. Mais uma vez, ambiguidade.

E já agora, assim sendo, onde desagua o Rio Douro? Será que a resposta certa era Porto ou Vila Nova de Gaia?

E com isto termino, mostrando que não lembra nem ao Diabo a dificuldade que existe em fazer perguntas! Não é tão fácil como parece!



2 comentários:

Filipa disse...

Esse programa, a meu ver, é um tanto quanto estúpido... Começa logo pelas categorias, que depois da pessoa escolher, sai uma pergunta que nem tem muito a ver ou nada com a categoria... Provavelmente não é sempre assim, mas das vezes que vi, acontecia isso...! Neste momento o programa que vejo é o "Chamar a Música"...Acho que qualquer dia vou lá dar o meu contributo, ou recebe-lo :P Acho que ia ser mt bem sucedida...ou não :P

ehehe.. :)

Beijinhos!

Filipa disse...

ah, só um aparte, eu já conhecia o dicionário do Professor JJ. Ele mostrou-o nas jornadas de LLE, eu estava lá e vi, muito boa a ideia dele, e vejo que o Alberto Manuel Simões já contribuiu :P

Muito bem! :)

Beijinhos