sábado, 26 de dezembro de 2009

Hipocrisia Ferial, ou Distracção para o Zé Povinho?

É provável que achem que este post se pode justificar pelo facto de eu ser Católico. Não me parece que seja esse o problema, até porque trabalho mais na preparação do coro paroquial para participarem nas Eucaristias dos feriados do que durante uma semana normal.

Mas a verdade é sinto que esta história da diminuição dos feriados no calendário Português não é mais do que uma hipocrisia mal fundada, ou mesmo, como dizia um bispo em relação ao casamento gay, uma fonte de distracção para o Zé Povinho não reparar na falta de governação desde as últimas eleições.

Ora vejamos, dizem que a diminuição de feriados aumenta a produtividade e diminui o desemprego. Embora possa concordar em relação ao primeiro ponto, discordo totalmente em relação ao segundo. Acho é que o aumento do período de férias poderiam aumentar o emprego (embora aumentasse o peso dos ordenados às empresas). Mas isto é outra história.

Estávamos a falar da diminuição de feriados. Evidentemente que se quer remover os feriados Católicos e não os institucionais ou patrióticos. Compreendo, e não discuto. O que discuto é que se queiram diminuir o número de feriados e, ao mesmo tempo, se criem tolerâncias de ponto (que em Portugal correspondem a dia de folga, e não a tolerância de ponto, que significa trabalhar com alguma flexibilidade de horário), se criem "pontes", e ainda não tenham conseguido terminar com o dia de Carnaval, que teoricamente já não é feriado, mas continua a ser.

Ou seja, se considerarem o Carnaval e as tolerâncias de ponto do dia 24 e 31 de Dezembro, e a habitual antes da Páscoa (ou depois, dependendo da empresa), são 4 dias que se perdem. E estes dias perdem-se por iniciativa de quem? Não, não por causa de feriados. Mas porque o Governo nos dá os dias para gozar.

É por isto que não percebo toda esta discussão à volta dos feriados. Se não é hipocrisia, é areia a ser atirada para os olhos do Zé Povinho, que assim se preocupa com a perda de uns dias de férias, e não repara em tudo o resto que se passa no país.

(NOTA: estejam à vontade para comentar com os vossos pontos de vista. No entanto reservo o direito a admissão em relação a comentários que faltem ao respeito a quem quer que seja)

1 comentário:

Nuno Lebreiro disse...

Não podia estar mais de acordo! As "pontes" deviam ser abolidas e concordo que alguns feriados devam ser ajustados para combatermos a péssima produtividade portuguesa.