quinta-feira, 3 de abril de 2008

Cebolas comoventes

Ainda não percebi a razão de tanta alergia à cebola. Não, não fico doente quando as como. Até gosto bastante de cebola frita ou assada ou cozida. Acho que só não como quando crua.

O problema é que cozinhar cebola com casca não é das coisas mais simpáticas, e não lembra nem ao Diabo. E não, também não o fiz. Mas apeteceu-me. Enquanto cortava a segunda cebola já estava com os olhos fechados, a lacrimejar e a piscar, a tentar conter-me para não cortar um dedo.

Procurando na Net, descobre-se que a cebola contém um ácido qualquer, cujos vapores fazem as glandulas lacrimais funcionar. O que não se encontra é a base. Sim, normalmente juntam-se ácidos e bases para neutralizar o efeito de um deles. E o que eu precisava mesmo era de descobrir que base usar quando preciso de descascar cebolas.

5 comentários:

jac disse...

Tens duas hipóteses:

- abres a torneira e cortas a cebola debaixo de água corrente;

- enches a dala de água e cortas a cebola debaixo de água.

O princípio é o mesmo :-)

Single Mind disse...

Terceira hipótese:

compras uns óculos de mergulhador.

Pitux disse...

Pois, eu ia dizer a cena da água.

Ou então não usas cebolas nos teus cozinhados. Eu opto por esta.

Álvaro disse...

“que "base" usar quando preciso de descascar cebolas”:

- De madeira não, que a ASAE não deixa. Tem de ser de plástico ou de aço.
;-)

Rui Peixeiro disse...

Ou como já foi dito os óculos de mergulhador ou como eu: óculos de carpinteiro!

Inestético mas funcional!