terça-feira, 19 de abril de 2011

CP não cumpre Constituição Portuguesa

É verdade, a CP, Comboios de Portugal, não cumpre a Constituição da República Portuguesa, mais concretamente, o ponto 2 do artigo décimo terceiro, onde se lê:
2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.
Ora, então, o que se passa? Se o cidadão em questão for detentor de um pénis, poderá usar livremente e gratuitamente os urinóis das casas de banho da estação de Campanhã. Se, por sua vez, for detentor de uma vagina, e por isso necessitar de visitar um cubículo para poder urinar, terá de pagar a módica quantia de cinquenta cêntimos.

Embora já me repugne que uma empresa tenha casas de banho pagas, o facto de nos comboios suburbanos não haver uma casa de banho (e note-se que uma viagem Braga -- Porto ou Guimarães -- Porto ultrapassa a hora e meia de viagem) faz com que este facto seja ainda mais ridículo.

Mas pior ainda, é a discriminação sexual que esta medida levanta. Já para não falar na discriminação pela situação económica (para muito boa gente menos cinquenta cêntimos já se torna um grande problema).

2 comentários:

Patrícia Cunha França disse...

Subscrevo a crítica completamente. Sem tirar nem pôr.

FM disse...

Sugiro que deixes esta mensagem no livro de reclamações da estação. Pode ser que alguém faça algo... na pior (e mais provável) das hipoteses coloca os homens a pagar 50 cêntimos e assim deixa de haver discriminação.